O poeta ou o crítico? – O público quer a segurança.

Na rodada de perguntas abertas de nosso 3º Ciclo de Críticas com Carlos Felipe Moisés, o público pediu ajuda ao crítico.

Prevaleceram questões sobre a crítica literária. A audiência procurou a coerência da interpretação, a confirmação do palpável sobre o pensamento poético. O poeta ficou ainda misterioso, não pelo desconhecimento de sua obra, mas talvez pelo receio do público ante a insuficiência de sua leitura.

A inquietante lucidez

CFM fala que a ansiedade pelo estudo do absolutamente novo é, obrigatoriamente, limitado pelo pensamento sistemático da crítica acadêmica.

Constata o despreparo da formação dos alunos que chegam à universidade sem possuir uma mínima leitura esperada, para a compreensão dos desafios da  literatura.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s